• Infantário sim, infantário não

Levar o seu filho para o infantário ou deixá-lo com uma ama. É um dos grandes dilemas, depois do aleitamento materno ou aleitamento artificial? E se se decidir pelo “sim”, quando é o melhor momento? Explicamos-lhe os prós e os contras do infantário para que a decisão seja só sua.

Está dilacerada pela dúvida? O seu filho parece demasiado pequeno para se separar dele tantas horas, mas tem de trabalhar? O infantário é uma das soluções, embora não seja a única. Tem vantagens e inconvenientes. Vamos analisá-los um a um.

Qual é o melhor momento?

Talvez durante o primeiro ano lhe pareça que o seu filho é ainda muito pequeno para ir para o infantário. Se puder deixá-lo com um familiar, ou com uma pessoa da sua confiança, garantirá que o seu bebé estará sempre bem cuidado e, além disso, de forma personalizada e exclusiva. Poderá desfrutar de passeios ao parque e alguns momentos ao ar livre.

De qualquer forma, pense que os infantários acolhem bebés a partir dos 4 meses de idade e eles raramente se dão conta da mudança nesta época. Estão num momento em que não sentem saudade das pessoas que cuidam deles. Mais adiante, o processo de transição poderá ser mais duro.

O momento ideal não existe. Deverão ser os pais a decidir qual é o momento.

Socializar com outras crianças

No infantário, o seu filho conhecerá outras crianças, comunicará, aprenderá coisas novas e estabelecerá relações diferentes das paterno-filiais. É necessário que o faça, mais tarde ou mais cedo.

Além disso, o infantário é diversão em estado puro. Talvez para si seja um inferno no início, mas para eles é uma brisa. É o paraíso da brincadeira: um lugar onde podem brincar sem limites com outras crianças do seu tamanho. Através da brincadeira, também efetuam um intercâmbio que assentará as bases de aprendizagens posteriores, como o diálogo, os sentimentos ou a posse. Um adulto com formação seguirá o seu desenvolvimento permanentemente e estará atento a qualquer problema que possa surgir.

Vírus que vejo, vírus que quero

Como se costuma dizer, quando começam a ir para o infantário as crianças começam a apanhar todos os tipos de vírus. Adoecem muitas vezes e trazem os vírus para casa, acabando por contagiar também os pais. Mas não se preocupe demasiado. As crianças precisam de passar por esta fase para que o seu sistema imunológico se desenvolva corretamente. Desde que não sejam infeções graves, claro. Como tal, prepare-se porque durante os seus primeiros 3 ou 4 anos de vida, o seu filho vai ter 90% das infeções que terá em toda a sua vida. É a forma de o seu corpo se adaptar a um mundo cheio de germes com os quais tem de aprender a conviver.

Aprender a partilhar

Se decidir que não irá para o infantário nos primeiros anos, garantirá que o seu filho tenha uma pessoa a ele dedicada a tempo inteiro. Não será mais um num grupo de 20 crianças. Aprenderá mais tarde a partilhar os brinquedos com outras crianças, bem como as primeiras noções da palavra amizade. Ou poderá fazê-lo também no parque.

Se decidir que o faça já no infantário, descobrirá rapidamente novas condutas para viver em sociedade. Poderá experimentar sentimentos de pertença a um grupo ou estar sujeito a horários e regras, que deverá ser a mãe a começar a ensinar-lhe. No infantário, é um bom momento para descobrir que não é ele o centro de tudo, embora continue a ser o rei da casa. Aprenderá a brincar, mas também a lutar. Como na vida, também no infantário, perde-se e ganha-se.

Imagen

160586342_1_1.jpg

Imagen destacada

160586342_1.jpg

Imagen promocionado

160586342_1_0.jpg

POSTOS RELACIONADOS

  • Fevereiro 6th, 2014 |
  • Fora com as fraldas!

  • Facebook0Tweet0 Como saber quando o seu bebé está preparado para deixar as fraldas? Como fazer? São muitas as perguntas que surgem na hora de dizer adeus às fraldas. É um processo longo em que o […]

  • ler mais >
Mais histórias
Aleitamento materno: não se renda!